ABU DHABI, 6 de novembro de 2018 (WAM) – A Public Library of Science (PLOS), uma corporação sem fins lucrativos com sede em San Francisco, Califórnia, publicou uma pesquisa sobre como viajar para o espaço afeta o DNA, em coautoria de jovens aspirantes. Astronauta dos Emirados e vencedor da competição ‘Genes in Space’, Alia Al Mansoori.

O artigo de pesquisa publicado em outubro de 2018, intitulado “Estudos de expressão genética usando um sistema de termociclador miniaturizado a bordo da Estação Espacial Internacional”, explica como a tripulação espacial humana passará por uma grande mudança.

“Embora as últimas décadas tenham visto voos orbitais de curto ou médio prazo (<1 ano) dentro do campo magnético protetor da Terra, nos próximos anos os astronautas passarão para explorações de longo prazo do espaço profundo”, disse o estudo.

Continuou explicando que há muitos desafios associados às missões do espaço profundo, no entanto, os riscos de saúde predominantes que devem ser mitigados antes que os seres humanos possam passar seguramente em viagens interplanetárias incluem as consequências da exposição à radiação cósmica e à micro gravidade.

“Os prótons de alta energia e os núcleos de alta carga e alta energia que compõem os raios cósmicos podem ter efeitos devastadores na saúde humana”, alertaram as descobertas do estudo.

Alia Al Mansoori, de 16 anos, estuda na Al Mawakeb School – Al Barsha, Dubai. Outros autores incluem Tessa G. Montague do Departamento de Biologia Molecular e Celular, Universidade de Harvard, Cambridge, Massachusetts, EUA; Emily J. Gleason, Sebastian Kraves e Ezequiel Alvarez Saavedra da miniPCR, Cambridge, Massachusetts, EUA; D. Scott Copeland e Kevin Foley da Boeing, Houston, TX, EUA.

Em 2017, um estudo de proposta apresentado por Al Mansoori encontrou evidências de que a exposição ao espaço afeta a saúde dos organismos vivos no nível celular e, com base nisso, um experimento de DNA foi conduzido com sucesso a bordo da Estação Espacial Internacional (ISS) em setembro de 2017 e foi realizada pela ex-astronauta da NASA Peggy Whitson.

Um dos locais mais vulneráveis ​​para danos de radiação cósmica é o DNA, onde mutações podem levar ao desenvolvimento do câncer, disse a pesquisa, acrescentando que “a combinação de micro gravidade e radiação cósmica pode impactar negativamente muitos processos biológicos normais no esqueleto, imunológico e sistemas nervosos dos seres humanos e outros organismos”.

Para maximizar o espaço, o custo e a eficiência dos astronautas, seria útil que os astronautas tivessem a capacidade de implementar procedimentos básicos de biologia molecular rapidamente no espaço, elaborou o estudo.

Os autores escreveram que “experimentos revelam que o DNA extraído a bordo da ISS pode ser congelado, armazenado e posteriormente utilizado em análises moleculares na Terra”.

Os experimentos também revelaram que três técnicas moleculares adicionais podem ser realizadas no espaço, expandindo assim as capacidades moleculares da Estação Espacial Internacional.

Como resultado dessas descobertas, dizem os autores, os astronautas poderão em breve gerar e analisar dados sobre sua saúde e o status molecular do ambiente vivo inteiramente no espaço. As descobertas também podem ajudar cientistas e astronautas no desenvolvimento de procedimentos de preparação de amostras para sequenciamento de próxima geração e outras análises de DNA a jusante, observou o estudo.

“Os astronautas que embarcarem nessa jornada precisarão ser totalmente autossuficientes para sobreviver ao ambiente hostil do espaço profundo”, acrescentou a pesquisa, acrescentando que os astronautas estarão sujeitos a aproximadamente três vezes a radiação cósmica da nave espacial dentro da órbita da Terra. Como resultado, os membros da tripulação precisarão rastrear não apenas sua fisiologia, mas também sua integridade no DNA, afirmou o estudo.

Os autores concluíram que, ao demonstrar com sucesso a extração de DNA no espaço, “estamos um passo mais perto de os astronautas adquirirem suas próprias amostras biológicas, extraindo o DNA e sequenciando-o”.

A Public Library of Science publica um conjunto de periódicos influentes de todas as áreas da ciência e da medicina que contêm artigos de pesquisa de acesso aberto rigorosamente relatados, revisados ​​por pares. (#Envolverde)

O post Biblioteca Científica dos EUA publica pesquisa do Emirado sobre como o espaço afeta o DNA apareceu primeiro em Envolverde - Revista Digital.