Mulheres em áreas em crise precisam de apoio em saúde sexual e reprodutiva

O UNFPA exige 683 milhões para tratar do direito à saúde sexual e reprodutiva de mulheres e meninas em 57 países em crise. Crédito: Abdurrahman Warsameh / IPS

NAÇÕES UNIDAS, 11 de fevereiro de 2020 (IPS) É necessário focalizar a situação inesquecível de mulheres e meninas que vivem em áreas de conflito e, em particular, apoiá-las com serviços de saúde sexual e reprodutiva, exigidos em um plano de… Continue Reading

Mulheres em áreas em crise precisam de apoio em saúde sexual e reprodutiva

Por Samira Sadeque , IPS – É necessário focalizar a situação inesquecível de mulheres e meninas que vivem em áreas de conflito e, em particular, apoiá-las com serviços de saúde sexual e reprodutiva, exigidos em um plano de ação humanitário 2020, a agência da ONU para a população. Atualmente, existem mais de 168 milhões de pessoas que precisam de ajuda financeira no mundo, disse o Fundo das Nações Unidas para a População (UNFPA) na quinta-feira, dando uma imagem da situação. O fundo projeta que, durante este ano, 45 milhões de mulheres e meninas serão afetadas por seus direitos devido a algum tipo de conflito. Para mulheres e meninas, os direitos à saúde sexual e reprodutiva muitas vezes se tornaram um problema secundário em situações de crise, mas especialistas dizem que é hora de torná-los uma preocupação primária. Segundo o UNFPA, para isso, é necessário um financiamento de 683 milhões de dólares, conforme destacado no plano divulgado na quinta-feira 6. “Esses tipos de serviços há muito são esquecidos”, disse à IPS Arthur Erken, diretor da Divisão de Comunicações e Parcerias Estratégicas do UNFPA. “Não deve ser uma ideia que seja última, deve ser parte integrante de (toda a preocupação)”, acrescentou. “Estamos focando nas mulheres e no que elas estão passando, porque estão na linha de frente”, disse à IPS Ann Erb Leoncavallo, do UNFPA. “Eles estão tentando cuidar de seus filhos, estão grávidas, estão tendo bebês, estão sendo bombardeados, sofrem inundações, água sobe, muitas outras coisas”, disse ele. Leoncavallo acrescentou que muitas das mulheres em áreas de conflito podem liderar famílias monoparentais ou ter seu próprio trauma. “Eles ficam deprimidos, ficam traumatizados porque enfrentam um aumento na violência de gênero”, disse ele. Os US $ 683 milhões serão utilizados para esforços em prol dos direitos à saúde sexual e reprodutiva das mulheres em 57 países, dos quais cerca de 300 milhões serão destinados a projetos do UNFPA em países como Síria, Iêmen, Iraque, Sudão e Somália. . Para ajudar as mulheres a procurar ajuda, desaprender sua vergonha e estigma, o UNFPA está atualmente trabalhando com “espaços seguros para mulheres e meninas”, onde podem fazer uma pausa em seus ambientes hostis e atividades diárias. Nesses espaços seguros, estabelecidos, por exemplo, nos campos de refugiados, as mulheres podem conhecer outras pessoas, compartilhar experiências, relaxar e ter um ambiente seguro para discutir sua situação e pedir ajuda, explicou Erken. O objetivo de criar espaços nos quais os homens não podem entrar, explicou, é prestar muita atenção às mulheres, proporcionando-lhes um local onde elas possam se sentir calmas e obter serviços de consultoria sobre os assuntos que lhes dizem respeito. Algo também importante, explicou o funcionário do UNFPA, é que a mulher não sofre estigma quando vai a esses espaços, como foi percebido nos campos de refugiados na Jordânia que possuem essas instalações. Além disso, para manter a privacidade, os prestadores de serviços especiais das mulheres as visitam quando seus filhos estão na escola e seus maridos estão ocupados em outro lugar. Afrah Thabet al Ademi, médica do UNFPA no […]

O post Mulheres em áreas em crise precisam de apoio em saúde sexual e reprodutiva apareceu primeiro em Agência Envolverde.

Continue Reading

Conselho da ONU quer jornalistas seguros

Por Tharanga Yakupitiyage, da IPS –  Nações Unidas, 4/10/2016 – O Conselho de Direitos Humanos da Organização das Nações Unidas (ONU) novamente se manifestou em favor da segurança dos jornalistas depois de adotar uma resolução com medidas para que os Estados garantam a proteção desses profissionais. O órgão já havia aprovado outras três resoluções para a […]

O post Conselho da ONU quer jornalistas seguros apareceu primeiro em Envolverde.

Continue Reading

Direitos humanos têm marca do Sul Global

Por Aruna Dutt, da IPS –  Nova York, Estados Unidos, 15/7/2016 – Frequentemente se recorda que os direitos humanos são uma criação do Ocidente, impulsionada contra a vontade das nações em desenvolvimento, mas as origens do sistema internacional de direitos humanos poderiam ser outras, segundo a conclusão de um fórum organizado em Nova York pelo Instituto […] Continue Reading

Anistia e HRW contra sauditas na ONU

Organizações defensoras dos direitos humanos pediram à Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU) que suspenda a Arábia Saudita do Conselho de Direitos Humanos. Por Tharanga Yakupitiyage, da IPS Nações Unidas, 4/7/2016 – A Human Rights Watch (HRW), com sede em Nova York, e a Anistia Internacional, com sede em Londres, se uniram para fazer […] Continue Reading

Graves ataques à sociedade civil em 2015

Apesar de sua contribuição para a justiça social e a defesa dos direitos humanos, entre outros, e para muitas outras causas, as organizações da sociedade civil foram alvo, em 2015, de “graves ataques” em 109 países, segundo um estudo da organização Civicus. Por Lyndal Rowlands, da IPS –  Nações Unidas, 29/6/2016 – “A liberdade de expressão, de […] Continue Reading

Um improvável embargo de armas

As possibilidades de um embargo ser imposto são muito remotas, considerando o multimilionário mercado de armas alimentado pelas potências ocidentais. Por Thalif Deen, da IPS –  Nações Unidas, 29/3/2016 – A morte de centenas de civis no conflito que sacode o Iêmen levou organizações de direitos humanos a pedirem um embargo de armas, especialmente contra a […] Continue Reading

Pessoal médico é vítima em zona de guerra

Por Thalif Deen, da IPS –  Nações Unidas, 15/2/2016 – O crescente bombardeio indiscriminado em três dos países com mais conflitos – Afeganistão, Síria e Iêmen – faz um grande número de vítimas entre o pessoal médico e humanitário, além dos milhares de civis presos em meio aos enfrentamentos entre as forças governamentais e rebeldes. As […] Continue Reading